Vitor Vieira



Vitor Emanuel da Silva Vieira, natural de Cinfães, iniciou os seus estudos musicais na Banda Musical de Gondomar sobre a orientação do professor José Moreira. Mais tarde ingressou na Escola Profissional de Mirandela no curso de instrumento – tuba, com o professor Nuno Machado. Durante este período participou em vários masters classes de tuba com tubistas de renome internacional e nacional tais como, Oystein Baadsvik, Thierry Thibault, Roger Bobo, Sérgio Carolino, Filipe Queirós, Amilcar Gameiro, Eduardo Nogueroles.
Concluiu a profissionalização em serviço no grupo M22 – Tuba e 610 – Música em 2011, pela Universidade Aberta. Licenciou-se em 2009 em Música – tuba no Instituto Piaget de Mirandela com o professor Adélio Carneiro.
Participou em vários estágios de orquestra entre os quais, Bracara Augusta, Orquestra dos Templários, Orquestra Aproarte, Orquestra Sinfonieta, trabalhando com maestros como António Saiote, Carlos Riazuelo, Emst Schelle, Octavio Mas Arocas, Robert Jorés Asensi, entre outros.
É membro fundador da Dogma Brass Band, e do Quinteto de Metais Gaudette. Colabora regularmente com a Igreja da Lapa e com Coro da Sé Catedral do Porto, realizando concerto em vários pontos do país.
Lecionou a disciplina de Tuba e música de câmara nos Conservatórios de Música de Aveiro e de Coimbra, na escola profissional de música da Jobra e na Academia Fernandes Fão.
Atualmente é professor na Escola de Música de Perosinho e faz parte dos quadros de escola do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian Braga.
Têm colaborado com associação portuguesa de Tubas e Eufónios (APTE), como júri do concurso realizado anualmente por esta associação.
Participou como júri no concurso internacional de sopros do alto Minho, organizado pela Academia de Música Fernandes Fão.
Foi convidado para orientar a classe de tuba no estágio da Sociedade Recreio União Prainhense e no estágio “Sopros do Minho 2015”. Orientou dois Estágios da Orquestra de Sopros e percussão do 1º Ciclo do Conservatório Calouste Gulbenkian de Braga. Orienta ainda master classes de tuba e música de câmara.
Na sua formação enquanto maestro, frequentou o Curso de Regentes de Bandas Filarmónicas, orientado por José Pedro Figueiredo, Francisco Ferreira e Tristão Nogueira, organizado pelo INATEL Frequentou o curso de Formação Continua de Maestros na Academia Portuguesa de Banda sob a orientação do maestro Paulo Martins. Participou como ouvinte workshops de direção sobre a orientação do maestro José Rafael Vilaplana e maestro Frank de Vuyst.
Assumiu a Direção Artística da Banda Musical de Cabreiros – Braga, em outubro de 2015.